Português
  • Agenda de Eventos
  • Proteção Civil e Florestal
  • a minha rua
  • Espaço Saúde
  • SIG
  • GEPE
  • Ofertas de Emprego - GIP
  • VortalGOV
  • AME
  • AME - plataforma

ok
Primeiro Festival Pão de Portugal levou mais de vinte mil pessoas a Albergaria-a-Velha

       Da baguete à broa de milho…Do folar ao pão da avó… Sem esquecer o pão-de-ló, a regueifa, o pão com chouriço ou o pão de Ul. Mais de 60 variedades diferentes deste bem essencial estiveram presentes na primeira edição do Festival Pão de Portugal, que tomou conta da Quinta da Boa Vista / Torreão entre 16 e 18 de maio.
       Ao longo de três dias, mais de 20 000 visitantes – incluindo o Secretário de Estado da Alimentação, Nuno Vieira e Brito, o Secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes - puderam conhecer, saborear e comprar o que de melhor se faz nas várias regiões do País, podendo misturar o seu pão favorito com diversos complementos – queijos, enchidos, doces, tudo “regado” com um bom copo de vinho ou um cálice de licor.
       Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal, que visitou o Festival no dia da inauguração, exaltou as virtudes do mesmo, afirmando que um evento como este dá visibilidade aos produtos tradicionais, promovendo a economia local. Por outro lado, o seu caráter único (a primeira vez que se reúne, num único local, tanta variedade de pão) aumenta a atratividade da região em termos turísticos, numa altura em que os turistas estão cada vez mais exigentes e procuram algo diferenciador nas suas viagens. António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal, demonstrou o seu desejo de transformar o Concelho na Capital Nacional do Pão e explicou que o Festival não é uma ideia desagregada, mas sim, parte de um projeto mais global de promoção do turismo sustentável que integra a Rota dos Moinhos de Albergaria-a-Velha, um valor cultural que é fundamental preservar. 
       Para além do espaço de venda, o Festival Pão de Portugal teve outros pontos de interesse, que enriqueceram a visita a quem passou pela Quinta da Boa Vista. Para conhecer melhor a História do Pão e a sua importância na sociedade, foram promovidas Conversas com Pão à Mesa, em que enólogos, historiadores, empresários e profissionais da área gastronómica partilharam o seu saber num momento de discussão informal. O pão nos provérbios, as origens da panificação em Albergaria-a-Velha, o pão como elemento de identidade cultural, o pão, o vinho e a sua relação com o sagrado, foram apenas alguns dos temas abordados e que prenderam a atenção do público. Passando da teoria à prática, o Chef Hélio Loureiro, a Chef Luísa Ginoulhiac e o Chef João Pimentel dinamizaram sessões de show cooking, em que os presentes puderam aprender a confecionar receitas simples, em que o pão é um ingrediente essencial – rabanadas poveiras, pão recheado, bacalhau com broa, pudim de pão com molho de frutos vermelhos, pão doce, açorda, entre outras. Acompanhando o trabalho dos chefes, esteve a enóloga Beatriz Almeida, que foi aconselhando o público sobre os melhores vinhos para acompanhar cada prato. No final do show cooking, todos puderam saborear a combinação sugerida entre o prato e o vinho, levando para casa ótimas sugestões para os almoços e jantares do dia-a-dia, bem como para os momentos mais especiais.
       A animação musical esteve sempre presente ao longo dos três dias, tendo o Festival privilegiado os talentos locais. Coro Idade Maior, Mimos Dixie Band, Coro Despertar, A Espiga, Coro Canticis, Skypho, Miguel Rodrigues, Rui David, Grupo Musical Branca Activa (Concertinas) e Grupo de Cantares de Santa Eulália foram as propostas que passaram pelo palco da Quinta da Boa Vista, tendo sido um ótimo acompanhamento para as inúmeras refeições que se fizeram no recinto.
       Na Biblioteca Municipal, houve também pontos de interesse para quem visitou o Festival. Para além de uma exposição sobre o Ciclo do Pão, com inúmeras imagens coloridas sobre o processo, foram apresentados documentários sobre o Pão D´ Ul, os Moinhos do Fontão e Momentos do Pão no Cinema. Os mais novos não foram esquecidos e eles puderam desfrutar de sessões de cinema infantil, com filmes que giravam à volta da comida, ou então, fazer a sua própria lembrança com massa de pão no camião pedagógico do Museu do Pão, estacionado na Praça D. Teresa. Neste local, os visitantes puderam, ainda, apreciar uma recriação histórica a enaltecer o modo tradicional de fabricar o pão, desde a apanha do cereal, passando pela moagem e confeção nos antigos fornos a lenha. Os amantes da História e das tradições também puderam conhecer a Rota dos Moinhos de Albergaria-a-Velha, em visitas guiadas dinamizadas pela Câmara Municipal.

Lançamento oficial da Farinha Alva
       No terceiro dia do Festival, a Câmara Municipal apresentou, oficialmente, a Farinha Alva, uma marca que surge como consequência da dinamização da Rota dos Moinhos de Albergaria-a-Velha que, neste momento, é composta por 8 engenhos, havendo, no entanto, mais 10 moinhos em fase de restauro, cujos proprietários querem integrar a Rota. Na apresentação da nova marca, Delfim Bismarck, Vereador da Cultura e do Turismo, destacou que o Concelho é extremamente rico em património molinológico – existem mais de 350 moinhos identificados – e que sem o envolvimento dos privados não seria possível oferecer um produto turístico diferenciador, que é uma afirmação da nossa cultura e das nossas gentes. O Vereador aproveitou, igualmente, a ocasião para apresentar Hélio Loureiro como “padrinho” oficial da Farinha Alva. O prestigiado chef português confessou ter tomado a iniciativa de apadrinhar a nova marca na medida em que é um prolongamento do seu trabalho de há largos anos, que é defender os produtos locais, elevando a sua qualidade. Na sua opinião, a Câmara Municipal teve uma excelente ideia e desejou o maior sucesso à nova marca, que espera poder servir de exemplo para a revitalização de outras localidades.

Um balanço muito positivo
       Para a Câmara Municipal, a primeira edição do Festival Pão de Portugal superou as expetativas e foi motivo de grande satisfação ver Albergaria-a-Velha aparecer nos órgãos de comunicação social nacionais por boas razões. Para Delfim Bismarck, o elevado número de visitantes, a satisfação generalizada por parte do público, dos comerciantes e dos parceiros, associado ao envolvimento motivado de dezenas de funcionários municipais e voluntários, resultou num sucesso retumbante.
       Colocar o concelho de Albergaria-a-Velha “no mapa” não é fácil, mas este foi um primeiro passo nesse sentido, já que nunca outro evento aqui realizado teve tanta projeção mediática.
       Consolidado como uma “marca” do concelho de Albergaria-a-Velha e da região de Aveiro, o Festival do Pão de Portugal terá no próximo ano uma edição com sucesso garantido à partida.



Aveiro Digital Portugal Digital Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Europa - O portal da União Europeia Créditos
Comentários e sugestões: informatica@cm-albergaria.pt ou info@cm-albergaria.pt
Copyright © 2018 Câmara Municipal de Albergaria